Saúde e Bem Estar

Perda da libido: tratamentos naturais devolvem o desejo às mulheres 

A especialista Dra. Lirane Suliano explica como a auriculoterapia neurofisiológica pode atuar na perda da libido

Pesquisa realizada este ano pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo revelou que 5,8% das mulheres entre 18 e 25 anos e 19,9% das maiores de 60 buscam um (a) ginecologista para lidar com a baixa no desejo sexual. Entre os homens, um estudo realizado em 2021 pelo DataFolha e uma plataforma de saúde masculina, revelou que 28% dos brasileiros diminuíram o desejo sexual, nos mais de dois anos de pandemia. A Dra. Lirane Suliano, especialista e docente em auriculoterapia, explica como a auriculoterapia neurofisiológica pode aumentar a libido.

“A satisfação sexual é um dos aspectos considerados necessários para a qualidade de vida. A baixa libido entre as mulheres é um problema que vem crescendo nas últimas duas décadas. Um dos motivos é que os níveis de testosterona e estrogênio diminuem com o tempo, o que possivelmente contribui para uma diminuição da libido. Dentro desse contexto é importante dizer que quando o problema persiste, pode ser diagnosticado como desejo sexual hipoativo. Uma pesquisa do Hospital das Clínicas da USP mostrou que além da falta de libido outros problemas afetam a vida sexual, em especial nas mulheres, como ausência de orgasmo e dor intensa durante a relação sexual. Considerando os diversos fatores que podem estar relacionados com essa queda na libido a auriculoterapia neurofisiológica se apresenta como um recurso terapêutico natural que pode devolver uma vida sexual mais ativa e saudável”, esclarece Suliano.

A especialista em auriculoterapia explica que alguns fatores podem afetar a libido, como cobranças sociais, tabus, medo de decepcionar o parceiro, receio de gravidez e de doenças, estresse, frustrações emocionais, financeiras e profissionais, estresse da rotina diária e o uso de medicamentos controlados como antidepressivos, ansiolíticos e anticoncepcionais. Além disso, as doenças endócrinas como obesidade, diabetes, hipotireoidismo e disfunção adrenal, também podem afetar a libido. Outras causas como ressecamento e flacidez vaginal e dor durante a relação sexual, também estão relacionadas com a queda na libido. Alimentação inadequada, tabagismo e consumo de álcool também afetam uma vida sexual saudável. 

Lirane Suliano ainda ressalta que: “as questões sobre libido são complexas, e por isso é fundamental avaliar a paciente de maneira individualizada, mas que a auriculoterapia apresenta excelentes resultados em alguns fatores que afetam o desejo sexual, como a qualidade do sono, a ansiedade, a circulação sanguínea e o relaxamento muscular dos genitais, como em casos de vaginismo, uma disfunção sexual que ocasiona dor na penetração”.

Sobre Lirane Suliano

É cirurgiã-dentista, mestre e doutora pela UFPR. Especialista em Acupuntura e docente da pós-graduação nas áreas de Auriculoterapia, Eletroacupuntura e Laserpuntura, já ministrou aulas para mais de 6 mil alunos, desde 2010, quando iniciou como docente de acupuntura e auriculoterapia em universidades. Autora do livro “Atlas de Auriculoterapia de A a Z”, obra em sua 5ª Edição, é hoje referência no Brasil no ensino dessa técnica, sendo responsável pela criação da pós-graduação em Auriculoterapia Neurofisiológica, na Universidade Focus, em Cascavel, no Paraná, e por cursos on-line, formando profissionais no Brasil e em diversos países, dentre eles, Argentina, Canadá, Alemanha, Irlanda, Itália, Malásia, México, Holanda, Panamá, Portugal, Ruanda, Emirados Árabes, Uruguai e Estados Unidos.

A especialista já ultrapassou as fronteiras brasileiras e teve a oportunidade de compartilhar seus conhecimentos em Congressos internacionais dos quais participou na Universidade de Harvard; em Beijing, na China; Munique, Chicago, Barcelona e Dubai.

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

  • […] capazes de identificar se seu ralo está, realmente, entupido e capazes de solucionar da, melhor forma possível, seu […]